Intercooperação: competência pode ser um diferencial na sua carreira

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

No movimento cooperativista, intercooperação diz respeito à parceria e à ajuda mútua entre associados de uma cooperativa e entre as próprias cooperativas. É um conceito, porém, que também vem sendo adotado pelo universo corporativo de forma geral, entendido como uma competência bastante desejada. Intercooperação, nas empresas, é a aptidão para estabelecer e manter relacionamentos e parcerias – na própria equipe ou com colaboradores de outros departamentos –, trabalhando de forma integrada e cooperativa. O foco é manter um clima organizacional favorável e benéfico a todos.

Para a consultora de Recursos Humanos e palestrante Gisele Mírian, certificada pela ABRACEM (Associação Brasileira de Consultores Empresariais), por mais que existam possibilidades de utilizar tecnologia e inteligência artificial, as relações humanas seguem sendo desafiadoras e importantes. “De acordo com o Fórum Econômico Mundial, entre as dez habilidades do futuro estão a gestão de pessoas, o trabalho em equipe, a inteligência emocional e a negociação.  Ou seja, relacionamentos com o outro. Assim, independentemente do cargo, da hierarquia ou da área de atuação, saber trabalhar e trocar com o outro é fundamental. Portanto, a intercooperação é hoje um diferencial competitivo”, diz Gisele.

Neste artigo, vamos mostrar como é o processo de intercooperação, como impulsioná-lo na prática e quais os benefícios que essa competência pode trazer à sua carreira.

Algumas características da intercooperação

• Soma de experiências: a troca de ideias favorece a conquista de um objetivo comum;

• Diversidade valorizada: seja de gênero, de formação, de etnia ou de idade ­– pontos de vista pessoais podem acrescentar olhares ricos e interessantes para uma determinada questão;

• Aprendizado intensificado: áreas diferentes podem contribuir com seus conhecimentos para outros setores da empresa – e, claro, você também pode aprender com eles;

• Empatia: se colocar no lugar do outro permite enxergar uma dificuldade ou uma tarefa de um modo diferente;

• Atitudes Colaborativas: os colaboradores podem se unir em torno de um objetivo comum que traga benefícios para a equipe, o departamento e até mesmo para a empresa.

Como impulsionar essa habilidade?

Você pode contribuir individualmente para a intercooperação na sua empresa através de algumas atitudes simples, mas muito eficazes. A primeira delas é aplicar esforços no seu autoconhecimento. A partir do momento em que você entende melhor como funciona, quais são os seus limites, forças e fragilidades, certamente contribui de forma mais assertiva com a equipe e a empresa. Isso leva a praticar a escuta ativa com os colegas de trabalho, identificar o momento ideal para propor uma ideia ou solução e até para pedir ajuda.

Outro ponto crucial é investir no aprendizado. “Fazer cursos específicos ajuda e muito. Aprender com especialistas e tomar conhecimento de determinadas técnicas que aperfeiçoam sua comunicação, por exemplo, são maneiras de obter as ferramentas desejadas na intercooperação”, afirma Gisele.

Escolher um mentor que possa lhe orientar ou uma pessoa próxima que possa servir de inspiração para as habilidades que necessita fortalecer significa dar um passo a mais no desenvolvimento da intercooperação. E, por fim, uma sugestão valiosa é pedir feedback – seja da liderança direta, seja dos parceiros de trabalho.

Benefícios de colocar o conceito em prática

Segundo Antônio Ornellas, especialista em gestão de carreira da TCS – Top Creative Solutions, quando temos profissionais com forte característica de trabalho em equipe, todos acabam ganhando. O clima do grupo fica melhor, o que gera maior felicidade e, como consequência, produtividade, já que um ambiente profissional formado por pessoas felizes tem um aumento de rendimento considerável.

Há uma gestão eficiente de conflitos: divergências de opiniões ou ruídos de comunicação são rapidamente solucionados entre os próprios funcionários. “Além disso, os projetos têm a tendência de se desenvolverem mais rapidamente e com menor custo. E não posso deixar de mencionar que profissionais que estão sempre colaborando, cooperando e fazendo um trabalho em equipe de qualidade apresentam um diferencial competitivo muito apreciado na empresa e no mercado. São mais cobiçados pelas demais áreas da organização e até mesmo por clientes e fornecedores”, fala Ornellas.

Agora que você já conhece as vantagens da intercooperação como um diferencial competitivo no trabalho, que tal se dedicar a aprimorar ainda mais seus conhecimentos sobre o assunto? Nossas plataformas LIT e EAD Seguros oferecem os cursos de Relacionamento Interpessoal e Gestão de Conflitos para ajudá-lo nessa jornada. Conte conosco!